Livro: A cor do leite

Autor: Nell Leyshon
Gênero: Literatura Estrangeira, Ficção, Romance
Editora: Bertrand Brasil
Tipo de capa: Brochura
Páginas: 208
Ano: 2014
ISBN: 9788528615814


Sinopse: O ano é 1831 quando Mary, uma menina de 15 anos decide escrever a sua história. Ela tem a língua afiada, cabelos da cor do leite, tão brancos quanto sua pele, e leva uma vida dura, trabalhando com suas três irmãs na fazenda da família.

Seu pai é um homem severo, que se importa somente com o lucro das plantações e joga sobre as quatro filhas a culpa por não terem nascido homens, para que pudessem ajudá-lo nos trabalhos mais pesados. Com Mary, ele é mais cruel.

No verão, ela é enviada ao presbitério, onde sua função será cuidar da esposa do pastor, uma mulher de saúde frágil. Mary não se sentirá confortável na nova casa - um mundo desconhecido, completamente diferente da realidade a que sempre esteve acostumada. Sua vontade é voltar para casa e para seu melhor amigo, o avô inválido e divertido. Mas a esposa do pastor gosta de Mary e a considera uma companhia agradável. Uma menina simples e analfabeta, mas forte e decidida.

Mary não tem escolha; nunca teve. Não escolheu ir para aquela casa e também não pode escolher a hora de ir embora. Decorrido um ano, ela aprende a ler e a escrever, e agora tem urgência em narrar a sua história.

Livro: A cor do leite

R$49,90 R$25,90
Livro: A cor do leite R$25,90
Entregas para o CEP:

Meios de envio

Livro: A cor do leite

Autor: Nell Leyshon
Gênero: Literatura Estrangeira, Ficção, Romance
Editora: Bertrand Brasil
Tipo de capa: Brochura
Páginas: 208
Ano: 2014
ISBN: 9788528615814


Sinopse: O ano é 1831 quando Mary, uma menina de 15 anos decide escrever a sua história. Ela tem a língua afiada, cabelos da cor do leite, tão brancos quanto sua pele, e leva uma vida dura, trabalhando com suas três irmãs na fazenda da família.

Seu pai é um homem severo, que se importa somente com o lucro das plantações e joga sobre as quatro filhas a culpa por não terem nascido homens, para que pudessem ajudá-lo nos trabalhos mais pesados. Com Mary, ele é mais cruel.

No verão, ela é enviada ao presbitério, onde sua função será cuidar da esposa do pastor, uma mulher de saúde frágil. Mary não se sentirá confortável na nova casa - um mundo desconhecido, completamente diferente da realidade a que sempre esteve acostumada. Sua vontade é voltar para casa e para seu melhor amigo, o avô inválido e divertido. Mas a esposa do pastor gosta de Mary e a considera uma companhia agradável. Uma menina simples e analfabeta, mas forte e decidida.

Mary não tem escolha; nunca teve. Não escolheu ir para aquela casa e também não pode escolher a hora de ir embora. Decorrido um ano, ela aprende a ler e a escrever, e agora tem urgência em narrar a sua história.